A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) deve emitir o laudo cadavérico do menino João Gabriel em dez dias, segundo a Secretaria da Segurança do Ceará. O menino de 3 anos morreu na segunda-feira (18) após ser liberado duas vezes do hospital municipal de Itatira. Esse prazo pode ser prorrogado, conforme o órgão.


Um inquérito foi aberto na Delegacia Regional de Canindé, unidade responsável pelo caso. "A Polícia Civil já vai começar as investigações e o laudo será um incremento", disse a advogada da família Isabel França, nesta quarta. A delegacia notificou o médico e funcionários do hospital para serem ouvidos sobre a morte do menino. Os pais e o irmão da criança serão ouvidos na sexta-feira (22).


O influenciador digital Paulo Henrique, irmão de João, narrou a saga da família em busca de atendimento para o garoto. Em uma série de stories, ele mostrou desde os primeiros atendimentos até o anúncio da morte do menino. O jovem denuncia que houve negligência. (Veja abaixo o relato de Paulo Henrique) O médico que atendeu a criança foi afastado.


"A família foi citada para ser ouvida na sexta-feira e vamos começar a acompanhar as investigações com a Polícia Civil. A gente vai estar em Canindé para as primeiras informações do inquérito, para saber se existe a possibilidade de alguma ação criminal contra a prefeitura, mas antes vamos aguardar o inquérito", afirmou a advogada.


Após a morte da criança, a Secretaria da Saúde de Itatira divulgou uma nota de pesar e disse que apura o caso.


João Gabriel foi sepultado no Cemitério da Lagoa do Mato com a presença de centenas de moradores da região.


Saga por atendimento


O influenciador digital irmão do menino descreveu a luta da família em busca de atendimento para o pequeno no Hospital Municipal, no Bairro Lagoa do Mato. Conforme o jovem, o irmão começou a passar mal no domingo (17), com febre e dor na garganta.


"Meu irmão estava com 39 graus de febre, levamos para o hospital no domingo. O médico atendeu, passou uma injeção, ele tomou a injeção e passou uns remédios para a minha mãe comprar e ela comprou. Ele tomou a injeção e nada da febre dele baixar, aí nós levamos para o enfermeiro. O enfermeiro deu um remédio que baixou a febre, ele melhorou mais e nós viemos para casa", afirma o irmão da vítima.


Na madrugada de segunda-feira, a criança teve uma piora em casa e foi levada novamente para a unidade.


"Quando foi 1h da manhã meu irmão começou a gemer, falando de uma dor na barriga, a febre ficando muito alta de novo e nós levamos para o hospital novamente. Chegando lá, o vigia foi chamar o médico, o médico demorou mais de 30 minutos para descer. Ele passou mais duas injeções para o meu irmão, sendo que ele já tinha tomado uma, e a febre dele não baixou, estava em 38,1 graus e o médico mandou a gente vim para casa", disse Paulo Henrique.


Conforme o irmão, a família retornou para casa com João Gabriel, que adormeceu. No mesmo dia, horas depois, o menino acordou pior.


"Quando ele chamou minha mãe ele já estava bem roxinho. Aí minha mãe deu entrada no hospital novamente com ele. Chegou lá o médico botou ele no soro. Quando foi 12h meu irmão começou a passar mal, tentaram reanimar, mas ele morreu", relata o influenciador.


De acordo com o irmão, a família pediu para transferirem a criança para um hospital de Canindé, porém o menino morreu antes de ser transferido.


G1 CE

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem