No Ceará, o trabalho desenvolvido pelas Forças de Segurança resultou na apreensão de quase 1,3 tonelada de drogas, o número representa 31% de aumento ao ser comparado com o mesmo período do ano passado, quando 986,3 quilos de entorpecentes foram retirados de circulação.

Ao todo, foram 1.292,50 quilos de drogas, entre cocaína, crack e derivados de Cannabis, retirados de circulação pelas Polícias Civil e Militar do Ceará. Os dados foram compilados pela Gerência de Estatística e Geoprocessamento (Geesp) da Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp/SSPDS).

O secretário da SSPDS, Sandro Caron, falou sobre a importância de reprimir o narcotráfico e descapitalizar grupos criminosos que possuem a comercialização de ilícitos como a principal fonte de renda: “Mais um resultado positivo das Forças de Segurança com esse aumento de apreensões de drogas no Estado. É importante destacar ainda que, em 2021, fechamos o ano com um grande recorde na apreensão de cocaína e seguimos nesse viés positivo no aumento das apreensões de entorpecentes. Esse trabalho é fruto da integração das nossas Polícias com o apoio das áreas de inteligência e o uso da tecnologia. Nosso intuito é trabalhar para reprimir o narcotráfico, pois desta forma estaremos colaborando muito para a redução de vários crimes graves”, concluiu o secretário.

Trabalho Conjunto

Para o coronel comandante-geral da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Márcio Oliveira, o resultado positivo é fruto de um trabalho integrado realizado, diuturnamente, por equipes das instituições vinculadas à Secretaria. “Esse trabalho é possível devido às mais variadas frações de tropas que vem realizando, diuturnamente, um trabalho ostensivo e preventivo com patrulhamentos e abordagens. Esse acréscimo é fruto desse trabalho e das ações de inteligência realizadas por nossas equipes. O Sistema de Segurança Pública e suas vinculadas trabalham no combate ao tráfico de drogas e isso tem um resultado positivo não só nas apreensões de entorpecentes, mas também em prisões e apreensões de pessoas envolvidas com esse crime. Esse trabalho seguirá sendo mantido e essa pressão operacional também. A Polícia Militar continuará sempre dando a sua contribuição no que mais sabe realizar: patrulhamentos ostensivos e capturas qualificadas para contribuir ainda mais com a redução dos indicadores e melhorar a sensação de segurança dos cearenses”, destacou ele.

No âmbito da Polícia Judiciária, o aprofundamento das investigações são conduzidas pelas delegacias da Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) com foco na desarticulação de grupos criminosos. Conforme o delegado Alisson Gomes, titular da Delegacia de Narcóticos (Denarc), o aumento de apreensões mostra o empenho das Forças de Segurança que têm desenvolvido ações voltadas ao combate ao tráfico de drogas.

“Esse aumento representa um esforço de todos os órgãos de segurança pública para reprimir o tráfico de drogas. É um crime que entendemos que funciona como combustível para outros. Diante disso, esse aumento faz parte de uma estratégia da segurança pública de enfraquecer esses grupos criminosos através do desmonte financeiro, apreendendo entorpecentes e bens utilizados por eles na logística do tráfico de drogas.

Outros Indicadores

As ações de abordagem, patrulhamento e investigação também alcançaram melhorias no índice de apreensão de armas. No primeiro trimestre, as Forças de Segurança retiraram 1.759 armas de fogo de circulação em todo o Ceará. O aumento foi de 18,6% quando comparado ao mesmo período de 2021, quando foram apreendidas 1.486 armas. Outro índice trimestral que alcançou retração foi o de roubo de veículos. Na capital, a retração atingiu 19,3%, indo de 1.272 casos para 1.027 se comparado com o mesmo período de 2021. Já na Região Metropolitana, Caucaia encerrou o mês de março com redução de 33,3% no índice de mortes violentas. Nesse período, a cidade registrou 18 mortes violentas contra 27, em 2021.

(PMCE)

(Foto: Reprodução)

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem