"Do meu lado, eu faria de tudo pra encerrar essa guerra em busca de algo melhor. Eles (Ciro e Cid Gomes) que possuem problemas comigo, não eu que tenho com eles. Iria no gabinete do Ciro, com certeza, mas não sei se ele me receberia", disse o pré-candidato

O deputado federal Capitão Wagner (União) afirmou que as críticas públicas que recebeu de Ciro Gomes (PDT) lhe renderam duas vitórias judiciais por danos morais. Em almoço com a imprensa, o parlamentar disse que decisões do juiz Magno Gomes de Oliveira estimam o pagamento de R$ 20 mil em cada ação, totalizando o valor de R$ 40 mil.

No primeiro processo, Ciro se referiu a Wagner como “canalha” e “miliciano” durante uma coletiva de imprensa em fevereiro de 2020, em meio à crise na segurança pública com o episódio do motim. “Ontem uma deputada federal ligada à milícia do Rio de Janeiro estava aqui no Ceará acompanhando o canalha daqui, que é o miliciano daqui”, disse o ex-governador ao se referir ao Capitão Wagner. A defesa do deputado federal pediu na justiça uma indenização no valor de R$ 30 mil por danos morais. Contudo, o juiz fixou a multa em R$ 20 mil.

No segundo caso também envolvendo pedido de indenização por danos morais, em junho de 2020, o ex-ministro chamou o adversário de “miliciano”. “Hoje o Wagner com dinheiro público é quem financia essa estrutura de bandidos que estão ao redor dele”, finalizou.

Ciro não se manifestou ainda. Entretanto, Wagner foi bem categórico ao explanar que, caso vença o título de governador do Ceará, e o Ciro o da presidência, não teria problemas em trabalhar com o ex-governador no futuro. “Do meu lado, eu faria de tudo pra encerrar essa guerra em busca de algo melhor. Eles (Ciro e Cid Gomes) que possuem problemas comigo, não eu que tenho com eles. Iria no gabinete do Ciro, com certeza, mas não sei se ele me receberia”, disse o pré-candidato.

Fonte: focus.jor.br

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem