A família de João Gabriel Sousa da Silva, de 3 anos, denuncia que houve negligência médica no atendimento da criança no hospital de Itatira, no interior do Ceará. O influenciador digital Paulo Henrique, irmão da criança, mantém a denúncia de que houve negligência médica. O caso segue em investigação pela Polícia Civil.

O laudo cadavérico do menino João Gabriel, de 3 anos, que morreu após ser liberado duas vezes do hospital municipal de Itatira, no interior do Ceará, foi divulgado nesta segunda-feira (2) e apontou que a morte da criança foi causada por um choque séptico ocasionado por complicações de pneumonia aguda bilateral. A família soube do resultado por meio de uma entrevista que o delegado do caso deu a uma rádio da cidade.

O irmão do menino, o influenciador digital Paulo Henrique, narrou a saga da família em busca de atendimento para o garoto. Em uma série de stories, ele mostrou desde os primeiros atendimentos até o anúncio da morte do menino. O jovem mantém a denúncia de que houve negligência. O médico que atendeu a criança foi afastado e prestou depoimento à Polícia Civil no dia 25 de abril. (veja abaixo o relato de Paulo Henrique)

"Óbito em consequência de complicações de pneumonia aguda bilateral devida a Streptococcus pneumoniae. Outros diagnósticos: edema cerebral e necrose tubular aguda", diz um trecho do laudo cadavérico emitido pelo Serviço de Verificação de Óbito (SVO), o qual o g1 teve acesso. 

G1 Ceará

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem