Togni, no primeiro tempo, abriu o placar para o clube argentino, mas Mendoza e Zé Roberto, na etapa final, garantiram a vitória para o Vovô

O Ceará enfrentou o Independiente nesta terça-feira, 5, em estreia da Copa Sul-Americana. Na imagem, Zé Roberto comemora gol marcado para o Vovô. (foto: Aurélio Alves/O POVO)

Na estreia de Dorival Júnior no comando técnico, o Ceará derrotou o Independiente-ARG de virada, por 2 a 1, pela primeira rodada da Copa Sul-Americana. Togni, no primeiro tempo, abriu o placar para o clube argentino, mas Mendoza e Zé Roberto, na etapa final, garantiram o importante triunfo do Vovô sobre o principal adversário do Grupo G.

O Vovô volta a campo pelo torneio continental na próxima terça-feira, 12, diante do Deportivo La Guaira, às 19h15min, no estádio Olímpico, em Caracas, Venezuela. Antes, o Alvinegro encara o Palmeiras, no sábado, 9, às 21 horas, no Allianz Parque, em São Paulo, pela estreia da Série A.AdChoices

Empurrado pela presença massiva dos torcedores alvinegros na Arena Castelão, o Ceará iniciou o confronto buscando o protagonismo da partida, com passes rápidos e tentativas de infiltrações na grande área. 

O Independiente, por outro lado, entrou em campo de forma mais cautelosa, entregando a posse de bola ao Vovô com o intuito de explorar eventuais jogadas de contra-ataque.

Apesar de ter a iniciativa nas primeiras ações ofensivas do jogo, um problema recorrente do Ceará na temporada voltou a ficar em evidência: a dificuldade em concluir as jogadas, seja através do último passe ou da finalização ao gol. Sem muitos espaços no campo — e com pouca criatividade para criar lances efetivos —, o panorama do embate mudou aos 11 minutos, quando o zagueiro argentino Ayrton Costa foi expulso pelo segundo cartão amarelo, deixando o Independiente com um a menos.

Em superioridade numérica, a expectativa era de que o Alvinegro crescesse na partida, mas não foi o que aconteceu. Taticamente, a ideia de jogo do treinador Dorival Júnior, de escalar três volantes no meio-campo, com Vina centralizado e Lima e Mendoza abertos nas pontas do ataque, não funcionou. A maior parte das tentativas no último terço do campo aconteceram em jogadas pela linha de fundo, finalizadas em cruzamentos ou passes rasteiros para o meio da grande área, estratégia que em nada resultou ofensivamente.

Pragmático e sem variações, o Ceará não conseguiu, ao longo dos 45 minutos iniciais, criar nenhuma situação clara de gol. O Independiente, entretanto, melhor em sua proposta de jogo e mesmo diante de um cenário desfavorável, foi quem abriu o placar da partida aos 32 minutos com Togni, em lance de contra-ataque e falha defensiva de Nino Paraíba.

O clima de insatisfação dos torcedores tomou conta da Arena Castelão. Gritos de protestos e vaias seguiram até o apito final do árbitro. Atrás no placar, o Ceará seguiu desconexo no duelo, com os jogadores claramente nervosos dentro de campo, errando passes e tomando decisões precipitadas.

Na volta do intervalo, Dorival modificou a formatação da equipe, colocando Zé Roberto como centroavante, recuando Vina para o meio-campo, com Mendoza e Erick — que entrou ainda no primeiro tempo — abertos nas pontas. As alterações melhoraram o desempenho do time e, com menos de cinco minutos, o Vovô conseguiu criar situações melhores do que foi produzido ao longo de todo o primeiro tempo.

Mais organizado e intenso, o Vovô montou uma verdadeira “blitz” no campo de defesa do Independiente e sufocou o time argentino. 

A pressão surtiu efeito e, aos 13 minutos, Messias finalizou em direção ao gol, mas o atleta do Rei de Copas interceptou com o braço e a penalidade foi marcada pelo árbitro. Na cobrança, Mendoza chutou forte no lado esquerdo, sem chances de defesa para Sosa, empatando a partida e criando uma nova atmosfera na Arena Castelão. Os gritos da arquibancada, antes de frustração, voltaram a ser de incentivo.

Dois minutos após igualar o placar, entretanto, Nino Paraíba recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso, deixando as equipes com igualdade numérica também entre os atletas. O revés não mudou o ímpeto do Alvinegro em busca da virada e a façanha foi conquistada aos 20 minutos com Zé Roberto, em lance atrapalhado da defesa do Independiente após cruzamento na área.

Com a vantagem no marcador, o Ceará passou a jogar com inteligência, evitando se expor defensivamente de forma desnecessária. O Independiente tentou algumas construções ofensivas, mas todas foram bem anuladas pelo clube cearense.

No fim, importante vitória para o Vovô, que começa a Sul-Americana derrotando o adversário mais forte e tradicional do grupo. O triunfo também dá tranquilidade para Dorival Júnior, que terá pela frente uma maratona intensa de jogos, e para a torcida, que novamente se fez presente em grande número para empurrar o clube dentro de campo.

Fonte: OPOVO On-line

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem