Conforme moradores, o caso seria um latrocínio (roubo seguido de morte). O POVO apurou que o entregador não quis entregar a motocicleta aos assaltantes, pois o veículo era o único meio dele de sustento

O entregador identificado apenas como Regileudo, de 26 anos, foi morto nessa terça-feira, 15, no bairro Conjunto Prefeito José Walter, em Fortaleza, onde realizava entregas no seu primeiro dia de trabalho. Ele foi morto com um tiro nas costas. A vítima deixa um filho de 5 anos e uma esposa no 7º mês de gestação. A vítima não quis entregar a moto, que era seu único meio de sustento e fugiu, mas os criminosos atiraram nas costas do rapaz, conforme O POVO apurou. 

De acordo com publicação da empresa de entregas que contratou o entregador, Regileudo "foi morto covardemente com um tiro nas costas quando estava de serviço". "Hoje foi o primeiro e último dia de serviço desse bom rapaz", diz a nota.

Regileudo pediu para iniciar o trabalho e começou as entregas no mesmo dia que foi morto. O proprietário e chefe do entregador foi o responsável por informar à família sobre a morte do rapaz.

De acordo com moradores, o caso seria um latrocínio (roubo seguido de morte). O veículo era o único meio de sustento do profissional. "Esse rapaz foi assaltado, não entregou a moto e levou um tiro. Caiu no mato e ficou pedindo socorro, mas ninguém saiu para ajudar com  medo", relatou fonte com identificação preservada. 

Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou a morte no bairro Prefeito José Walter. "A vítima foi baleada em via pública e socorrida para unidade hospitalar, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. A Polícia Militar do Ceará (PMCE) foi acionada e realizou os primeiros levantamentos sobre o fato", divulgou o órgão.

Entregador morto no Planalto Ayrton Senna há três meses também realizava entregas no momento do crime 

Pedro Rodrigues foi morto ao entregar sushi no bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza, no dia 26 de dezembro, um dia após o Natal. 

Imagens de circuito de segurança flagraram o momento que a vítima realizava as entregas e foi abordado por assaltantes. Ele não reagiu e foi morto. A vítima também deixou esposa e filha. O profissional trabalhava em uma empresa e fazia entregas durante o fim de semana para complementar  a renda. 

OPOVO On-line #morte #capital #latrocinio #insegurança #ceará

Envie um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem